A UNICA e o MAAVi Innovation Center assinam um acordo para alcançar o resíduo zero na produção hortifrutícola

img

A UNICA, o primeiro exportador de horticultura da Espanha e o MAAVi Innovation Center, o maior centro de biotecnologia dedicado à agricultura natural da Europa, fundado pela Kimitec, assinaram um acordo estratégico de colaboração que visa a MAAVi pesquisar soluções naturais adaptadas para alcançar o resíduo zero na produção hortifrutícola.

O objetivo final é conceder aos agricultores da cooperativa os instrumentos naturais, eficazes e sustentáveis necessários para atingir os objetivos que planeja a União Europeia com a sua estratégia Farm to Fork e a ONU com os seus ODS.

Tal e como a estratégia Farm to Fork da UE salienta, a utilização de agrotóxicos na agricultura contribui para a poluição do solo, da água e do ar. Por sua vez, o excesso de nutrientes no meio ambiente é uma importante fonte de poluição que tem um impacto negativo na biodiversidade e no clima. É por isso que a UE propõe reduzir até 2030 um 50% da utilização e do risco dos agroquímicos, um 50% da utilização dos agrotóxicos mais perigosos, as perdas de nutrientes de pelo menos 50% sem alterar a fertilidade do solo e reduzir a utilização de fertilizantes em pelo menos 20%.

Estes objetivos são tão ambiciosos quanto necessário. No entanto, ainda não existe regulamentação específica para simplificar o registro de biopesticidas na Europa, tendo em conta que, nos próximos anos, os agricultores deverão ficar sem ferramentas.

Nas palavras de Antonio Domene, vice-presidente da Kimitec, “Há mais de 14 anos, a Kimitec propôs ser a alternativa aos produtos de síntese química na agricultura, colocando a produtividade natural, a saúde do consumidor e o respeito pelo meio ambiente, no centro da equação da produção agrícola”, ao que acrescenta “ainda existem muitas problemáticas para as quais não existe uma solução natural disponível tão eficaz como a ferramenta de síntese química e, nos próximos anos, veremos que muitas das matérias ativas da síntese química desaparecerão, é por isso que essas alianças de pesquisa privada são tão importantes”.

Problemáticas como Tetranychus urticae, Bemisia tabaci, Thrips, Myzus persicae ou a temida Tuta absoluta que causa graves problemas aos agricultores de tomate em todo o mundo que investem anualmente no seu controle mais de 38 milhões de dólares e para a qual, nos últimos anos, na UE foi proibido um total de 32 substâncias ativas de síntese química, sendo 30 das 62 inicialmente aprovadas para seu controle.

Para a UNICA, permanecer competitivo nos mercados internacionais diante da crescente oferta hortifrutícola de diferentes lugares do mundo é um desafio, afirma Diego Calderón, subdiretor da cooperativa.

“Este acordo de pesquisa com o MAAVi Innovation Center e o nosso compromisso com a sustentabilidade reforçam a ligação com os nossos clientes, que é o nosso principal objetivo e que nos permite continuar crescendo de forma sustentável no tempo.”

Segundo a UE, uma dieta saudável e baseada em produtos vegetais reduz o risco de doenças potencialmente fatais e o impacto ambiental do sistema alimentar.

Com o MAAVi Lab, ambas as empresas se comprometem a criar um ambiente alimentar adequado para facilitar a escolha saudável e sustentável, garantir alimentos saudáveis, acessíveis e sustentáveis, combater as alterações climáticas, proteger o ambiente, preservando a biodiversidade.

Te puede interesar...

A equipe feminina do MAAVi FC ganha o Prêmio Iberdrola SuperA Social

Hace 12 meses | Corporativo

Thierry Pradier novo Diretor da KIMITEC na Europa

Hace 2 meses | Corporativo

Continuamos trabalhando por você e por todos!

Hace 2 anos | Agriculture

MAAVi Innovation Center, a visão de reinventar a produção de alimentos se torna realidade

Hace 2 anos | Corporativo