Privatização mundial da água

img

22 de março | ‘Dia Mundial da água’

A água é hoje, mais do que nunca, um recurso indispensável tanto para a população mundial como para a agricultura.  A cada 22 de março, se celebra o “Dia Mundial da água” para sensibilizar e recordar a importância deste precioso líquido.

Você sabia que a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento teve lugar no Rio de Janeiro em 1992? A partir desse mesmo ano, o “Dia Mundial da água” começou a ser celebrado anualmente.

Quanto vale a água?

Todos estamos mais ou menos conscientes de como é necessária a água em nossas vidas, mas atribuir um valor real não é tarefa fácil, menos ainda se quantificarmos o impacto da seca em certas zonas geográficas do planeta.

Por isso mesmo, e com a ideia de gerar debates, a ONU decidiu lançar uma campanha digital com o título #Water2me e sob o lema ‘Valorizemos a água’. Um debate que incita a nível mundial não só sobre o desenvolvimento econômico, social e cultural, mas também sobre o impacto ambiental.

A água é um recurso particularmente necessário para a produção agrícola e para a segurança alimentar. As alterações climáticas estão provocando desequilíbrios a nível global, dificultando o acesso do setor primário aos recursos hídricos e originando problemas de produção agrícola em determinadas regiões do planeta. Isto, somado ao fato de apenas 2,5% da água presente na terra ser doce, aumentando a sensação de insegurança dos produtores e a estabilidade do setor agrícola. A população está perante um horizonte de desolação se não forem tomadas as medidas necessárias para resolver esta crise a médio prazo.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

Um dos principais Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), marcado no calendário da Agenda 2030, é precisamente o nº 6, cujo objetivo é “garantir a disponibilidade de água, a sua gestão sustentável e o saneamento para todos”. Um objetivo ambicioso se tivermos em conta os 2,2 milhões de pessoas que vivem sem acesso a água potável.

Você sabia…?

  1. 1/3 das pessoas não têm acesso a água potável
  2. Se o aumento de T para 1,5 ºC acima dos níveis pré-industriais fosse limitado, a seca provocada pelas alterações climáticas poderia ser reduzida em 50%
  3. Se o objetivo n.º 6 dos ODS for alcançado, poderemos salvar 360,000 vidas/ano
  4. 90% das catástrofes naturais foram desencadeadas por efeitos climáticos extremos
  5. Em 2040, se supõe um aumento da demanda de água superior a 50%

Estes são apenas alguns dos dados que dependem diretamente do clima e da água. Sem ir mais longe, as alterações climáticas afetam todos os anos o rendimento das culturas agrícolas. Estima-se que a produção mundial de plantas seja 30% menor do que deveria ser por causa do estresse hídrico e/ou térmico. As alterações climáticas estão se tornando cada vez mais uma realidade e podem levar o planeta Terra a um “ponto sem retorno” a partir de 2035, se os governos mundiais não tomarem uma decisão sobre o assunto.

Apesar de grandes avanços agronômicos que estão permitindo o desenvolvimento de novas variedades resistentes à seca, salinidade, climas muito frios ou verões muito quentes, as mudanças climáticas estão provocando:

  1. Aumento das temperaturas a nível mundial
  2. Escassez de água em determinadas regiões do planeta (40% da população)
  3. Aumento das chuvas torrenciais (menor frequência e mais abundantes)

Como a seca afeta a agricultura?

Mas… como é que esse desequilíbrio afeta a agricultura?

A maior parte da superfície mundial é de sequeiro, o que implica que, devido à alteração do ciclo da água, é necessário otimizar a utilização da água para gerir eficazmente os recursos hídricos.

Para isso, foram desenvolvidas nas últimas décadas tecnologias para otimizar o uso da água nos sistemas de irrigação. Na verdade, um dos inventos do século foi desenvolvido em Israel no início da década de 1960, dando origem ao primeiro sistema de “irrigação por gotejamento” que se tornaria mais tarde conhecido mundialmente.

Irrigação por gotejamento

Não há dúvida de que a água é um bem escasso e precioso pela grande maioria, a ponto de alguns países terem decidido privatizar a sua utilização. Há alguns meses, o uso da água até passou a ser cotado no mercado de futuros na Califórnia. Será essa a solução para este grande desafio global, a fim de garantir o acesso à água?

Alguns dos países cujos recursos hídricos estão sendo privatizados:

  1. Chile: Os rios são propriedade privada à disposição da ditadura, sem terem sido modificados pelo governo da concertação democrática.
  2. 16 países subdesenvolvidos: Em 2000, o FMI obrigou à privatização da água.
  3. Argentina: Privatização no início de 1993 com o propósito de promover a universalização dos serviços de água potável e saneamento.
  4. Espanha: Embora a propriedade seja pública, quase 34% da prestação de serviços hídricos é fornecida por entidades públicas, 34% por empresas privadas, 22% por empresas mistas e 10% por serviços municipais.
  5. França, Grenoble: Foi privatizada em 1989 por uma empresa de tratamento de águas, que foi ordenada pelo presidente da câmara.

Conseqüências da privatização da água na agricultura

Que consequências pode ter a privatização da água para a agricultura?

Segundo a comissão econômica da América Latina e do Caribe, localizada em Santiago do Chile (uma das cinco comissões regionais das Nações Unidas), os países sul-americanos onde a água é mais cara são o Chile e a Argentina, ambos privatizados. O que poderia se traduzir em margens de lucro mais baixas para o setor agrícola.

Partindo da base que a agricultura consome 70% da água extraída, se supõe que a concorrência entre os diferentes setores aumente. A pressão para a privatização deste escasso recurso aumentará no futuro, assumindo um maior esforço para otimizar e reduzir o consumo de água nas explorações agrícolas.

Que solução a Kimitec traz para otimizar o uso dos recursos hídricos?

Na Kimitec temos soluções que têm um efeito direto na otimização dos recursos hídricos na agricultura.

Fix&Release

Melhora o movimento da água no solo reduzindo a tensão superficial.

Um exemplo muito ilustrativo para explicar a tecnologia de Fix&Release seria os insetos sapateiros (Gerris lacusstris) que flutuam graças à tensão superficial da água. Se o produto fosse aplicado em solução, estes não flutuariam sobre a superfície.

Fix&Release agente molhante

Como funciona exatamente?

Em condições normais, a água no solo tende a circular pelos canais preferenciais, seguindo a “lei do mínimo esforço”. O que conseguimos após a aplicação do produto é distribuir a água pelos canais secundários, aumentando a superfície regada e a bulbo úmido.

Desta forma, é possível melhorar a infiltração e o movimento da água através do perfil do solo, alcançando uma distribuição homogênea e evitando a lixiviação.

Este efeito nos permite espaçar mais as irrigações (reduzindo o consumo de água) e aproveitar melhor a água de irrigação e os nutrientes do solo.

A partir da Kimitec trabalhamos diariamente para desenvolver soluções naturais que nos ajudem a enfrentar os desafios que o setor agrícola encara nos próximos anos. Não nos contentamos em procurar soluções eficazes para aumentar a produtividade das culturas, mas estamos empenhados no ambiente e no planeta. Procuramos soluções inovadoras para a agricultura do futuro e do presente.

Para saber mais sobre o nosso agente humidificante Fix&Release.

Betazyme Plus

Trata-se de um bioestimulante osmoprotetor líquido de culturas à base de glicina-betaína que, além disso, proporciona à planta Cálcio e Boro, oferecendo maior proteção contra as fisiopatias provocadas pelo estresse hídrico, térmico ou salino. O cálcio e o boro fortalecem as paredes celulares, bem como a epiderme dos frutos, aumentando a vida pós-colheita.

A ação osmoprotetora tem especial importância durante o crescimento celular de tecidos vegetais e a formação do fruto, evitando assim a ocorrência de cracking ou microcracking por desequilíbrios hídricos.

A glicina-betaína é produzida por todas as plantas naturalmente como mecanismo de proteção contra diferentes estresses abióticos. Mas… você sabia que a beterraba sacarina (Beta vulis) é uma das plantas que mais osmólitos (sais) gera? Esta vantagem evolutiva foi aproveitada na Kimitec para desenvolver Betazyme Plus.

Mais uma vez, observamos e aprendemos da natureza para, a partir de diversas condições ambientais, edáficas e fisiológicas, formular soluções naturais que melhorem o estado das culturas.

Para saber mais sobre o Betazyme Plus.

Te puede interesar...

Nova sede na China, Kimitec Group amplia a sua família

Hace 3 anos | Corporativo

Da medicina à agricultura. Utilização de peptídeo para a melhoria da saúde humana e das colheitas.

Hace 1 mês | Agriculture

Preparados para a batalha: Priming, sistema imunitário das plantas e a luta contra os agentes patógenos

Hace 3 meses | Agriculture

Gustavo Noriega, novo gerente geral do Kimitec Group na LATAM

Hace 2 anos | Corporativo