Em direção ao fim dos resíduos químicos no campo

img

Há alguns anos que o conceito de agricultura biológica está abrindo caminho não só entre os produtores, mas também entre os consumidores. Além de ser um modelo de cultura que dispensa produtos artificiais ou de síntese química, é, nas palavras da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura), um sistema de gestão do ecossistema que tem em conta as possíveis repercussões ambientais e sociais através da eliminação da utilização de insumos, tais como fertilizantes e agrotóxicos sintéticos, medicamentos veterinários, sementes e espécies geneticamente modificadas, conservadores, aditivos e irradiação”. Se assim for, porque os efeitos de alguns dos produtos utilizados no último século neste campo têm sido prejudiciais para a saúde humana, para o gado, para as próprias plantas e para o meio ambiente em geral. O regresso ao biológico, ao natural, é a solução mais evidente.

Como chegamos a este ponto de inflexão? Durante muito tempo, a indústria dedicada ao gerenciamento de soluções para a melhoria da produtividade agrícola buscou otimizar a relação entre superfície e quantidade. O importante não era conseguir frutas ou verduras de qualidade e  saudáveis, mas sim obter colheitas abundantes e repeti-las o número máximo de vezes.

Para isso, fertilizantes, herbicidas e agrotóxicos químicos conformaram uma tríade eficaz, baseada, no entanto, em um conceito generalista de solo e de comportamento da planta. Nutrientes como o nitrogênio ou o fósforo tornaram-se usuais dos compostos utilizados para adubar os solos ou combater pragas. Em muitos casos, foi necessário ver as consequências que alguns destes produtos poderiam provocar.

O nitrogênio e o fósforo tornaram-se normais dos compostos utilizados para adubar os solos

Contaminação química

Assim, os nitratos, por exemplo, têm sido um dos principais elementos contaminantes dos aquíferos subterrâneos, chegando facilmente até eles a partir do solo. Algo semelhante acontece com os fosfatos que, além de provocar a eutrofização das águas doces, seu teor em metais pesados, o cádmio, pode dar origem a problemas de saúde humanos. Estes são de fácil absorção pelas plantas e, em casos como frutos secos ou soja, concentram-se nelas. Tudo isto se supõe que, para além das implicações meio ambientais, que se traduzem em fenômenos como a chuva ácida e a poluição química do ecossistema, nos deparamos com potenciais efeitos na saúde humana devido ao desenvolvimento de certos tipos de câncer.

O manejo de produtos químicos agrícolas exige pensar na prevenção. Isto significa dar informação àqueles que os gerem, limpar bem os locais afetados por poluentes ou avaliar bem a sua presença no ambiente, entre outras medidas. Mas voltamos ao início, porque há uma via alternativa: a biológica e natural.

Se substituirmos os fertilizantes e os agrotóxicos de síntese por produtos biológicos, como prebióticos e probióticos, utilizando soluções não genéricas, mas adaptadas às circunstâncias bioclimáticas de cada cultura, podemos eliminar riscos.

É verdade que o grande inimigo desta mudança tem sido, durante muito tempo, de natureza econômica: a produtividade. As culturas biológicas representavam mais mão-de-obra e mais superfície disponível para gerar os mesmos volumes de produção que as culturas não biológicas. Além disso, isso afeta os custos. É por isso que continuamos a ver que aquilo que vem da agricultura biológica continua sendo mais caro. No entanto, as soluções que desenvolvemos a partir da indústria biotecnológica, como é o caso da Kimitec, estão permitindo equilibrar o cenário.

É possível, com soluções naturais, conseguir uma produção elevada e obter frutas e legumes de alta qualidade e sabor

Agora já é possível, com soluções naturais sem risco de contaminação ou de ativação de processos perigosos para a saúde, conseguir uma produção elevada, obtendo frutas e legumes de alta qualidade e sabor. Estamos entrando numa fase em que a pesquisa científica coloca ao nosso alcance soluções que satisfazem as necessidades de toda a cadeia de consumo. E isso, num cenário em que temos que responder à emergência meio ambiental que o planeta enfrenta, é mais urgente do que nunca.

Te puede interesar...

Kimitec, chave da mudança do setor agroalimentar para uma agricultura natural e produtiva

Hace 1 mês | Agriculture

Mergulhando na matéria biológica desconhecida

Hace 2 meses | Agriculture

MAAVi Innovation Center, a visão de reinventar a produção de alimentos se torna realidade

Hace 2 anos | Corporativo

Da medicina à agricultura. Utilização de peptídeo para a melhoria da saúde humana e das colheitas.

Hace 6 meses | Agriculture