Do laboratório para a comercialização industrial: Como superar os desafios para gerar produtos biológicos

Pesquisa | Kimitec

img

A distribuição e a administração das vacinas contra o coronavírus nos últimos meses revelaram desafios nem sempre evidentes. Quando a pesquisa sobre o desenvolvimento dos diferentes soros estava tão avançada que era necessário discutir questões de distribuição, surgiram esses desafios. Como transportar as vacinas em condições de segurança? A que temperatura devem ser conservadas? Existiam em todos os países meios adequados para armazenar e transportar as vacinas até aos locais de aplicação, nas condições que exigiam? Apesar dos 80 graus abaixo de zero que deveriam ser mantidos os envios de Pfizer e Moderna, apesar das dificuldades logísticas por terra, mar e ar, o processo não falhou. Foi resultado da aplicação eficaz de métodos de produção e logística em larga escala para produtos farmacêuticos. Isso também é dado no campo biotecnológico e agronômico.

Quando eu compro em uma farmácia um anti-inflamatório eu não me pergunto se a caixa pertence a um bom lote ou a um ruim. Não questiono se o impacto do medicamento sobre o nosso organismo será maior ou menor do que em outras ocasiões. Tenho certeza de que todos os comprimidos serão iguais, conterão os mesmos princípios ativos e gerarão a mesma resposta. Um produto farmacológico, ao chegar ao cliente final, é estável.

Mas essa estabilidade e fiabilidade não são fáceis de alcançar. No mundo dos produtos biológicos trabalhamos com compostos naturais. Utilizamos extratos de plantas, fermentações, microrganismos e microalgas para identificar e concentrar moléculas com propriedades benéficas para o desenvolvimento de produtos bioestimulantes, biopesticidas e pré e probióticos, úteis para o solo e para as culturas. Não são objetos sintéticos, mas sim naturais, que mudam e se apresentam de forma diferente, de acordo com a concentração e as condições em que os preservamos. O que é produzido em escala laboratorial pode ser funcional, mas levá-lo à escala industrial é outra história. É exatamente isso que conseguimos na Kimitec: Passar de um nível para outro sem que o processo implique um aumento do preço do produto e sem comprometer a sua qualidade e fiabilidade.

Questão de metodologia

Onde está a chave? São muitos os aspectos que devemos ter em conta, mas na Kimitec resumimos em duas palavras: metodologia farmacêutica.

Esta metodologia própria que aperfeiçoamos ao longo de anos de trabalho nos permite superar os diferentes desafios que a produção biotecnológica tem enfrentado nas últimas décadas. Além do mais, fizemos isso tendo muito presente que a nossa atividade não é apenas pesquisar. Testamos, verificamos, produzimos, escalamos e distribuímos a um preço competitivo em relação a outras soluções, incluindo as de química de síntese.

Del laboratorio a la comercialización industrial: cómo superar los retos para generar productos biológicos

A escalada é um dos maiores desafios da indústria biotecnológica. A descoberta de uma molécula natural com interesse agronômico não implica que possa ocorrer em quantidades industriais. A formulação, a embalagem, a distribuição e mesmo a aplicação do produto afetam este tipo de soluções.

Até recentemente, a falta de consistência e estabilidade dos produtos biológicos afetavam a adoção de novas tecnologias para fertilizar as culturas ou prevenir pragas. Era normal que nos encontrássemos que um produto poderia, por vezes, funcionar e outras não. Além disso, a natureza dos insumos biológicos condiciona as medidas de armazenagem necessárias para preservar e garantir a sua eficácia. E o que quer dizer isto? Entre outras coisas, que, se o produto for muito delicado, a sua validade também chegará antes. Isto não dá nenhuma vantagem aos agricultores e os impede de administrar bem a sua aplicação. Mas há mais. Diante da química de síntese, o biológico tem tido problemas de qualidade como consequência de fatores como a concentração em prazos relativamente curtos. Até aqui, tudo parece ser problema, certo? Pois foi a metodologia da Kimitec que nos permitiu ultrapassar estes obstáculos.

Superando barreiras

Apoiamos na observação e na experimentação não para alcançar produtos de aplicação universal, mas sim para compreender tanto a tecnologia biológica que utilizamos como as necessidades dos nossos clientes onde se encontram. No primeiro caso, compreender qual é o modo de ação de um produto nos permite recomendá-lo ou não para uma determinada cultura e problema agronômico, em circunstâncias e época adequadas.

Além disso, estar ciente da correlação existente entre as condições de uma determinada cultura (como é o solo onde germina, as condições climáticas da zona, o estresse a que as plantas são submetidas etc.) e a eficácia do produto nos permite algo muito importante: recomendar a utilização de um produto biológico apenas no caso de sabermos que vai obter uma resposta positiva graças à sua aplicação.

O anterior exposto não é suficiente. Fazemos muito mais. Para que se possa oferecer consistência, ou seja, que o produto não seja alterado, temos em conta sua caracterização físico-química. Além disso, aplicamos especificações técnicas e padrões de qualidade de produção muito rigorosos. Tudo isto garante que não é o lote que determina a qualidade, mas sim o procedimento. Da mesma forma que esperamos que o sabor de um refrigerante não tenha gosto diferente em função do palete de latas, conseguimos que o conteúdo de cada uma das nossas embalagens seja idêntico.

No mundo dos produtos orgânicos, trabalhamos com compostos naturais

Um momento. E quanto a validade? Falamos de soluções à base de microrganismos. De verdade que algo assim pode permanecer invariável e em condições de aplicá-lo no tempo? É assim. Para isso, trabalhamos muito bem a parte da química verde. Além disso, aplicamos técnicas de estabilização que nos permitem chegar a datas de expiração não inferiores a dois anos. Trata-se de um pulo de qualidade, mas também de competitividade. Colocamos nas mãos dos clientes um produto que lhes dá a flexibilidade de que necessitam a um custo razoável. Não comercializamos insumos de luxo para alguns, mas sim soluções ao alcance de muitos.

A metodologia da Kimitec é tão real que o pulo que damos do laboratório para o mercado se reflete em nossas próprias instalações. Nosso centro de pesquisa, MAAVi, fica ao lado de nossa fábrica. Não pode ser mais uma declaração de intenções. Fusionamos métodos e metodologias provenientes do mundo farmacêutico e da alimentação industrial para gerar soluções consistentes. Em seguida, recomendamos que as culturas sejam adequadas no momento exato de maior impacto e valor para o agricultor.

O método Kimitec acaba como começa: ouvindo o cliente. Alguém acreditou realmente que poderia ser feito de outra maneira?

Te puede interesar...

MAAVi Labs, acordos estratégicos de colaboração para alcançar o resíduo zero

Hace 6 meses | Corporativo

Aliança de Cosentino e Kimitec dois gigantes da indústria almeriense, juntos pela Economia Circular – Projeto EOCENE

Hace 4 meses | Pesquisa

Preparados para a batalha: Priming, sistema imunitário das plantas e a luta contra os agentes patógenos

Hace 8 meses | Agriculture

Mergulhando na matéria biológica desconhecida

Hace 2 meses | Agriculture